“Quando estiveres pronta”: campanha de sensibilização sobre a preservação de fertilidade

A campanha “Quando estiveres pronta”, lançada hoje em Portugal, é direcionada para as mulheres e disponibiliza as informações necessárias sobre as opções de preservação de fertilidade. Através desta plataforma, serão disponibilizadas informações importantes para que as mulheres possam tomar decisões informadas sobre a sua vida fértil em tempo útil, caso optem por ter filhos mais tarde ou considerem que não é o momento certo para se tornarem mães.

Em 2020, a média etária das mulheres em Portugal aquando do nascimento do primeiro filho foi estimada nos 30,7 anos[1]. De um modo geral, a média etária em que as mulheres têm filhos tem também vindo a aumentar[2]. Fatores como a procura por mais formação, construção de uma carreira, mudanças no relacionamento e coabitação têm sido apontados como possibilidades para o aumento da idade em que as mulheres procuram ter filhos2. É, assim, fundamental consciencializar as mulheres para a diminuição significativa da fertilidade a partir dos 31 anos[3].

Esta plataforma permite assim informar e capacitar as mulheres sobre a preservação da fertilidade. O intuito é dar respostas às perguntas mais frequentes, o que inspirará muitas mulheres a delinear mais cedo o seu projeto de fertilidade, permitindo-lhes pensar a longo prazo. Deste modo, as opções de preservação da fertilidade, como o congelamento de ovócitos ou óvulos, podem ser consideradas como alternativas para mulheres que queiram adiar a maternidade, aumentando a possibilidade de conceber um filho mais tarde.

Esta campanha é promovida pela Gedeon Richter Portugal e conta com o apoio científico da Sociedade Portuguesa de Medicina da Reprodução.

Sobre a campanha “Quando estiveres pronta”

A campanha “Quando estiveres pronta” fornece respostas factuais para mulheres que ponderem o congelamento dos seus ovócitos. Tem como objetivo informar e educar as mulheres em idade fértil em toda a Europa, incluindo informações sobre o processo, elementos financeiros e fatores de elegibilidade (idade e legislação local). Já foi lançada em cinco países, incluindo, Bélgica, Grécia, Suécia, Holanda, Espanha e agora em Portugal.

Para saber mais sobre a campanha, visite aqui.

 

[1] Pordata. Idade média da mãe ao nascimento do primeiro filho. Disponível em: https://www.pordata.pt/Portugal/Idade+m%c3%a9dia+da+m%c3%a3e+ao+nascimento+do+primeiro+filho-805(Último acesso em 23/09/2021).

[2] . Mills M, et al. ESHRE Reproduction and Society Task Force. Why do people postpone parenthood? Reasons and social policy incentives. Hum Reprod Update. 2011 Nov-Dec;17(6):848-60.

[3] van Noord-Zaadstra BM, et al. Delaying childbearing: effect of age on fecundity and outcome of pregnancy. BMJ. 1991 Jun 8;302(6789):1361-5.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here