Como peixe na água: benefícios de treinar em meio aquático

Se sempre que pensa em ir à piscina tem medo de “meter água”, conheça os benefícios que este meio lhe pode trazer. As atividades são inúmeras e os benefícios também, tanto para o corpo como para a mente.

 

Artigo da responsabilidade da Prof.ª Ana Andrade.  Doutoranda em Atividade Física e Saúde, pela Universidade Lusófona de Lisboa (ULHT). Mestre em Exercício e Bem-Estar, ULHT Lisboa. Personal Trainer e Group Trainer no Holmes Place Parque das Nações.

 

Confesse: quando ouve falar de exercício físico na água pensa imediatamente em aulas de hidroginástica com população mais velha, na recomendação médica para frequentar a piscina devido a uma lesão ou simplesmente num treino de baixa intensidade. Desengane-se, porque treinar em meio aquático é muito mais do que isso.

Os benefícios da prática de exercício físico na água, como a natação, a hidroginástica ou até uma simples caminhada na piscina destacam-se pela capacidade de conseguir trabalhar todo o corpo, gastando muita energia, mas minimizando o impacto, uma vez que a água diminui o efeito compressivo da gravidade e o stress articular e muscular.

Ao ficarmos mais leves na água, conseguimos realizar exercícios mais exigentes do que em meio terrestre. Da próxima vez que pensar que treinar na água é para os mais velhos, pense de novo e lembre-se do Michael Phelps!

AJUDA A EMAGRECER

Com a chegada do verão, a tendência é para querer perder uns quilinhos ou até mesmo enveredar por um estilo de vida mais ativo e saudável. Se é fã de contar calorias, saiba que o estilo mariposa obriga a gastar, em média, 380 calorias por cada 30 minutos de exercício, enquanto o crawl gasta cerca de 200 calorias pelo mesmo tempo de natação.

Embora fortemente influenciado pela seleção de exercícios e pela intensidade com que os pratica, numa aula de 45 minutos de hidroginástica pode também gastar entre 300 e 500 calorias. De reforçar que o dispêndio energético varia consoante o género, idade e peso.

A opção pelo meio aquático aquando da gestão de peso pode deve-se a restrições que a pessoa possa ter ao iniciar a atividade, como a incapacidade de treinar no ginásio, limitações articulares, obesidade, entre outras. Por norma, as pessoas com excesso de peso ou obesas têm baixo nível de condição física, bem como dificuldades de mobilidade.

Estudos indicam que exercícios aquáticos, em comparação com exercícios terrestres, levaram a aumentos percetíveis na atividade física e também são indicados para redução de massa gorda.

AUMENTA A PERFORMANCE

Já treina há algum tempo, mas nunca foi à piscina? Pois saiba que prática regular e orientada em meio aquático vai ajudar a melhorar a sua performance, em especial a cardiorrespiratória. Combinar atividades aquáticas com a musculação é benéfico pelo baixo impacto articular, recuperação e relaxamento muscular, e faz com que o risco de lesões seja menor. Além disso, estar na água faz com que se “desconecte” do mundo e “refresque os pensamentos”, desligando-se da azáfama da vida diária. Quer motivos melhores para ir até à piscina?

Para melhorar o seu desempenho do treino de força poderá combinar a ida à piscina 2 a 3 vezes por semana.

PROMOVE O BEM-ESTAR

A prática regular de exercício em meio aquático é boa para a saúde física e mental. Durante o exercício, o corpo liberta endorfina, a hormona do prazer, que provoca uma sensação de prazer, liberdade, satisfação e felicidade. Ao promover boas sensações, também vai influenciar positivamente o nosso humor e reduzir a tensão e stress do dia a dia.

AJUDA NO TRATAMENTO DE DOENÇAS

Se sofre de doenças crónicas, como a diabetes ou cardiopatias, o exercício em meio aquático serve de coadjuvante no tratamento e prevenção de situações mais graves. Reduz também os sintomas da asma e auxilia na respiração, isto porque o ambiente húmido fortalece os músculos torácicos, o que aumenta a elasticidade e o volume dos pulmões, amplificando a capacidade de captar oxigénio.

POR QUAL OPTAR?

Se já está quase convencido com os benefícios do treino na água, mas ainda não sabe por qual atividade optar, apresentamos quatro sugestões para se iniciar na prática: desde hidroginástica para quem é fã de aulas de grupo, passando pela natação mais convencional de miúdos e graúdos, até ao treino personalizado, que pode ser com o fim de aprender a nadar (através do método Art Of Swimming) ou com o Personal Trainer irá ajustar o treino aos seus objetivos e condição física.

Leia o artigo completo na edição de julho/agosto 2021 (nº 318)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here