Suplementos para seniores: vitaminas e minerais protetores

0

Numerosas investigações comprovam que a toma diária de suplementos de vitaminas e minerais especificamente formulados para adultos com mais de 55 anos pode contribuir para a maior proteção do sistema imunitário desta população.

 

Nas próximas décadas, as pessoas mais velhas representarão uma percentagem crescente da população. É importante termos consciência de que aumenta o risco de problemas de saúde à medida que envelhecemos.

Felizmente, um acervo cada vez mais vasto de trabalhos de investigação mostra-nos que uma nutrição adequada e o consumo de suplementos de vitaminas e minerais permitem reduzir os problemas de saúde e prolongar o número de anos de vida saudável da população sénior.

A toma diária de um suplemento de vitaminas e minerais, especificamente formulado para adultos com mais de 55 anos, pode contribuir para a maior proteção do sistema imunitário desta população, nomeadamente em tempo de gripes e constipações.

Em artigos publicados no Journal of the American Medical Association, recomenda-se que os seniores tomem um suplemento multivitamínico diário, para satisfazerem as suas necessidades em vitaminas. A investigação confirma que os idosos se defrontam com um risco acrescido de carência de vitaminas e que o consumo inadequado de várias vitaminas e sais minerais tem sido associado a doenças crónicas, incluindo a doença cardíaca, o cancro e a osteoporose.

Segue-se um resumo de diversos trabalhos de investigação, onde se demonstra o efeito benéfico de um consumo adequado de vitaminas e sais minerais para as doenças crónicas frequentemente associadas ao envelhecimento.

Doença de Alzheimer e funcionamento cognitivo

A doença de Alzheimer é uma doença degenerativa do cérebro, que pode levar uma pessoa a esquecer-se de acontecimentos ou tarefas familiares recentes. O risco da doença de Alzheimer aumenta com a idade.

Certos nutrientes, como os antioxidantes e as vitaminas do grupo B, desempenham um importante papel no funcionamento saudável do cérebro. A presença de um elevado nível de antioxidantes no sangue é associada ao melhor desempenho da função mental, incluindo a memória.

Uma dieta rica em antioxidantes pode proporcionar proteção contra a doença de Alzheimer e atrasar a evolução em pessoas previamente diagnosticadas como sofrendo da doença.

A vitamina B12 e o folato podem ter efeitos benéficos para as capacidades cognitivas em geral. A presença no sangue de níveis baixos de folato e de vitamina B12 e níveis elevados de homocisteína têm sido associadas a uma incidência mais elevada da doença de Alzheimer.

Um suplemento multivitamínico que inclua as vitaminas C, B6, E e D, o ácido fólico e sais minerais, como ferro, zinco e selénio, pode melhorar a função mental e até atrasar o aparecimento da doença de Alzheimer.

Antioxidantes, fitoquímicos e prevenção da doença ocular

À medida que uma percentagem significativa da população vai envelhecendo, aumenta a incidência das doenças oculares associadas à idade. Dois dos problemas oculares predominantes que afetam as pessoas com mais de 60 anos são a degenerescência macular relacionada com a idade (DMRI) e as cataratas.

Os antioxidantes, em particular a luteína carotenoide, podem prevenir a degenerescência macular e a formação de cataratas.

Tem-se demonstrado que as vitaminas C e E e os carotenoides atrasam o aparecimento de problemas de visão relacionados com a idade, como as cataratas e a degenerescência macular.

Nutrientes e função imunitária

À medida que uma pessoa envelhece (depois dos 55 anos), a sua resposta imunitária começa a enfraquecer. Um sistema imunitário enfraquecido pode aumentar o risco e a gravidade das infeções.

O consumo de suplementos com zinco, selénio e antioxidantes (vitamina E e betacaroteno) pode melhorar a função imunitária e reduzir a incidência de doenças infecciosas.

Leia o artigo completo na edição de janeiro 2020 (nº 301)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA