Gravidez responsável

0

É ÓBVIO QUE INÚMEROS BEBÉS SÃO CONCEBIDOS SEM PREMEDITAÇÃO ALGUMA E NASCEM E DESENVOLVEM-SE SEM QUAISQUER PROBLEMAS. MAS SE OS FUTUROS PAIS TIVEREM A OPORTUNIDADE DE PLANIFICAR A CONCEÇÃO DO BEBÉ, É PREFERÍVEL QUE O FAÇAM, SEM DESCURAR NENHUM PORMENOR: TERÃO, ASSIM, MAIORES PROBABILIDADES DE QUE A GRAVIDEZ DECORRA COM TOTAL NORMALIDADE, BEM COMO DE QUE A CRIANÇA NASÇA FORTE E SAUDÁVEL.

 

Preparar uma gravidez exige mais do que planeamento familiar: requer adotar uma série de atitudes, muito simples, que proporcionem uma vida mais saudável e façam com que a conceção do bebé se produza nas melhores condições.

A maioria dos médicos aponta três meses de “preparativos” como suficientes, para chegar ao momento da conceção em condições ótimas.

Quem tem um estilo de vida pouco regrado –  algo de muito comum, nos dias de hoje –, deve consciencializar-se de que é necessária uma série de mudanças. Antes de mais, é fundamental viver de forma saudável, o que implica, entre outras coisas, afastar certos vícios, adotar bons hábitos alimentares e praticar exercício físico.

Ao longo deste artigo, apresentaremos uma lista de conselhos. Mas antes de a ler, uma advertência: essas sugestões não são apenas para a mãe; a conceção de um filho é responsabilidade de ambos os progenitores e, por isso, também o pai deve ter em conta a maioria dos conselhos.

CONSULTA MÉDICA

Qual é o estado de saúde dos futuros papás? Existe algum aspeto no historial médico de cada um, que possa contribuir para dificultar a gravidez? Por exemplo, as pessoas que sofrem de asma, diabetes, epilepsia, doenças renais, problemas cardíacos ou qualquer outra perturbação devem consultar o médico, antecipadamente.

Mas por muito saudáveis que os membros do casal pensem que são, não devem deixar de consultar o médico, para efetuarem análises de sangue e urina. Assim, poderão certificar-se de que estão nas melhores condições de saúde, para enfrentar o grande evento.

No caso da mulher, é indispensável verificar se possui anticorpos da rubéola. O facto de ter sido vacinada no passado não é garantia de imunidade, porque os anticorpos perdem a sua eficácia, após um certo período de tempo. Se não é imune, deve vacinar-se e esperar três meses, antes de tentar engravidar.

Por último, tanto homens como mulheres deveriam fazer uma análise genética, a partir dos 40 anos.

CONTRACETIVOS E MEDICAMENTOS

Tanto a pílula como o DIU devem eliminar-se três meses antes do momento em que se deseja conceber um filho. Para evitar a gravidez, durante esse período, podem usar-se preservativos. Isto porque a pílula pode alterar, de forma substancial, os níveis de certas substâncias no sangue e, no caso do DIU, retirá-lo com antecedência tem por objetivo fazer desaparecer a irritação do útero.

Quanto aos medicamentos, há que afastá-los, inclusive a aspirina, pois é anticoagulante.

A ELIMINAR

Não ao álcool, ao tabaco e a outros vícios, tanto para o homem como para a mulher. Numerosos estudos demonstraram que aqueles são fatores que podem dificultar a conceção e, pior ainda, podem afetar gravemente o feto. O álcool pode alterar a fertilidade, bem como o embrião em desenvolvimento. Fumar pode influenciar a produção de espermatozoides e, inclusivamente, provocar o aborto, anormalidades fetais e, por último, a morte súbita dos recém-nascidos.

EXERCÍCIO FÍSICO

O exercício é benéfico para toda a gente; e a preparação para a gravidez é uma boa desculpa para começar.

Nadar e andar são exercícios moderados e muito saudáveis, constituindo, portanto, excelentes escolhas. O exercício ajuda a animar o espírito e, no caso da mulher, fortalecerá os músculos da zona baixa das costas, a barriga e as pernas, o que lhe tornará mais fácil a futura gravidez.

Leia o artigo completo na edição de fevereiro 2020 (nº 302)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA