Efeitos da exposição ao ruído são cada vez mais graves

0

Cerca de um terço da população está exposta a níveis excessivos de ruído, que podem ser responsáveis por um incremento de 30% na probabilidade de sofrer dificuldades auditivas e duplicar as hipóteses de sofrer distúrbios de humor e do sono, dificuldades de concentração e dores de cabeça. Estas são algumas das conclusões de um estudo recentemente divulgado.

 

Segundo os resultados do estudo “Coping with Noise”, promovido pela Amplifon (empresa multinacional especializada em soluções auditivas) e envolvendo 11 países, os EUA estão no topo do ranking, com 16% da população exposta a níveis elevados de ruído, seguido de Itália, com 10%, e Portugal, com 7%. A França e o Reino Unido partilham com Portugal o 3º lugar no pódio dos países com maior Índice de Exposição ao Ruído (ENPI). Refira-se que este índice traduz a perceção da exposição ao ruído nos 11 países intervenientes e avalia a quantidade, a recorrência e a duração do barulho a que as pessoas estão expostas nas grandes cidades.

PORTUGAL É O TERCEIRO PAÍS MAIS “SURDO”

Nas grandes cidades, 28% da população vive em ambientes ruidosos. De acordo com este estudo, Portugal é o terceiro país mais “surdo”, ficando à frente de Espanha (5%), Bélgica (6%), Holanda (4%) e Alemanha (2%), em termos de exposição ao ruído.

Em todo o mundo, as maiores fontes de ruído são:

  • o trânsito (33% a 39% em Portugal);
  • as conversas entre pessoas (28% a 33%);
  • a música de fundo (25% a 29%);
  • os transportes públicos (21% a 25%).

Portugal lidera o ranking mundial da maior exposição ao barulho do trânsito, juntamente com a Itália, ficando à frente da França e dos EUA.

Outras fontes de ruído em Portugal, mas com menor nível exposição, são o toque contínuo de telemóveis (16%), e os aviões (13%).

Entre as cidades portuguesas, o Porto lidera como a cidade mais barulhenta (8%), seguido de Lisboa (7%) e Coimbra (5%), conquistando o terceiro lugar no pódio das cidades mais ruidosas da Europa, juntamente com Londres e Bruxelas. Uma análise mais detalhada, revela que a maior exposição ao barulho derivado do trânsito, das conversas entre pessoas e dos transportes públicos verifica-se na cidade do Porto, com 45%, 36% e 28%, respetivamente. Já o ruído proveniente da música de fundo é mais ouvido em Lisboa, com 30% de exposição.

Leia o artigo completo na Edição de janeiro 2016 (nº 257)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA