Dor e inflamação bucal

0

OS TRANSTORNOS ORAIS NÃO SE RESUMEM A DORES DE DENTES E PERIODONTITES. VÁRIAS OUTRAS PERTURBAÇÕES PODEM AFETAR A MUCOSA BUCAL, AS GENGIVAS E ATÉ A GARGANTA.

 

Todos nós já sofremos, ocasionalmente, dores e inflamações no revestimento (mucosa) da boca, língua, gengivas e garganta, ou seja, na chamada cavidade orofaríngea. Na maioria das situações, a causa não é grave e os incómodos podem ser atenuados com tratamentos fáceis e acessíveis. Contudo, se um problema persistir por um período de tempo prolongado ou ressurgir, é aconselhável consultar o médico assistente ou o dentista. Vejamos quais os transtornos mais frequentes.

ÚLCERAS

As úlceras bucais são comuns. Resultam de uma fissura na mucosa, a qual expõe o tecido subjacente, que é bastante sensível. Embora sejam geralmente pouco graves, podem ser surpreendentemente dolorosas. Habitualmente, estas úlceras surgem na sequência de uma pequena dentada, ao mastigar, ou em resultado da ingestão de algo muito quente. As aftas são um grupo particular de úlceras, que surgem de forma ,por vezes associadas a períodos de stress.

A maioria das úlceras da boca saram por si só no espaço de uma ou duas semanas. Bochechar com uma solução bucal indicada para o efeito, de venda em farmácia, alivia a dor e acelera o processo de cicatrização.

INFEÇÕES

O revestimento da boca é habitualmente resistente a organismos infecciosos. A maioria das pessoas só sofre infeções na boca quando apresenta a imunidade enfraquecida ou mantém uma dieta pouco saudável. herpes labial é um exemplo do tipo de infeção recorrente, podendo as reativações surgirem na sequência de stress, fadiga, luz solar intensa, alguma outra infeção, febre e até mesmo a menstruação.

Por seu turno, as infeções das gengivas são frequentes em pessoas que negligenciam a sua higiene oral, bem como em fumadores, indivíduos sujeitos a stress ou na presença de uma infeção na garganta. As gengivas tornam-se dolorosas e inchadas, avermelhadas e podendo sangrar.

GARGANTA INFLAMADA

Faringite é o nome que se dá à inflamação da faringe – zona da garganta situada entre a boca/fossas nasais e a laringe/esófago –, cujo primeiro sintoma é a dor. A causa habitual são as infeções virais, mas também pode ser provocada por infeções bacterianas, pelo refluxo dos ácidos do estômago, entre outras razões. O álcool e o tabaco são sempre fatores de agressão e agravamento da inflamação da faringe.

O QUE FAZER?

Para o tratamento sintomático dos estados irritativos e inflamatórios da cavidade orofaríngea, por vezes associados a dor, pode ser eficaz gargarejar ou bochechar com uma solução anti-inflamatória não esteroide de venda em farmácia. Princípios ativos como o diclofenac, sob a forma de solução bucal, podem estar indicados nos casos acima citados, bem como na sequência de tratamentos dentários conservadores ou de extração. Em caso de agravamento ou não melhoria dos sintomas, deve consultar-se o médico.

Artigo publicado na edição de maio 2020 (nº 305)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here