Terapia do flutuário: experiência de gravidade zero

0

Flutue na vida, nas preocupações e no stress. Esqueça as tarefas, as rotinas e os afazeres. Abandone-se e entregue-se a um momento só seu. Aceite o desafio: marque um encontro consigo… No flutuário! 50 minutos de flutuação correspondem a cerca de 6 horas de sono profundo, combatem os desequilíbrios emocionais e libertam o potencial criativo.

 

joao-gil-pereira-naturenaArtigo da responsabilidade do Dr. Gil Pereira, Especialista em Medicina Integrativa; mentor do projeto Naturena

 

Imagine um compartimento amplo, sem a sensação de claustrofobia, com uma temperatura de 35ºC e iluminação adequada. Lá dentro, uma piscina à mesma temperatura contêm um gel complexo onde predomina o magnésio, assemelhando-a em densidade às águas do Mar Morto. A experiência da flutuação é uma oportunidade para estarmos em gravidade zero, onde, para além de uma ação remineralizante e relaxante, se beneficia de um efeito desintoxicante e estabilizador de corpo e mente.

A flutuação é uma experiência de verão e de inverno, cujos benefícios máximos devem ser recolhidos de forma continuada em 4 ou 5 sessões, bem monitorizadas e procedidas de uma massagem adequada.

O indivíduo deve ser instruído para conseguir tirar o melhor partido, nomeadamente na primeira sessão. Vencer a desconfiança e conseguir a libertação total demora alguns minutos. O acompanhamento personalizado permite uma flutuação cada vez mais natural e tranquila. Braços, pernas e tronco vão-se soltando, tomando cada vez mais conta da situação e aprofundando o grau de relaxamento. O gel acolhe o corpo que se solta. Cada músculo, cada articulação, até à descoberta da postura mais confortável. Sem barreiras, dores são suavizadas e a ausência de estímulos permite que a mente usufrua desta paz. Há até quem durma, flutuando.

“RESET” A TODOS OS NÍVEIS

A terapia do flutuário permite uma reprogramação, um “reset” que começa no estado mental e se estende até ao físico. Atua no hipocampo e no córtex cerebral, grande orientador da estrutura endócrina (hipófise, tiroide, glândula mamária).

Durante a flutuação, não devem existir quaisquer elementos distrativos. A pessoa deve estar totalmente disponível e focada em explorar a ausência da gravidade, tirando daí todo o proveito, o benefício máximo. O abandono que solta o corpo e a mente! Não é só a gravidade que é zero. Tudo terá de ser zero!

Leia o artigo completo na edição de setembro 2016 (nº 264)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA