Mitos e factos da higiene íntima

0

Por constrangimento ou falta de informação, quase metade das mulheres portuguesas desconhece a importância de uma higiene íntima adequada. Conheça alguns dos mitos e factos sobre o cuidado da zona íntima.

 

O público feminino, aliciado constantemente com novas soluções para os cuidados da aparência exterior, continua a descurar a atenção concedida à higiene da zona íntima.

O embaraço em torno do tema acompanha as alterações na rotina de qualquer mulher ocidental, como explica a especialista em ginecologia e obstetrícia Drª Patrícia Amaral: “Até meados do século XX, a maioria das mulheres não utilizava roupas justas, não fazia contraceção hormonal, não fumava, não frequentava o ginásio nem trabalhava fora de casa por longas horas. Devido às alterações associadas ao estilo de vida atual, os cuidados de higiene íntima não devem ser descurados, tendo em vista a prevenção de infeções e aquisição de hábitos saudáveis”.

 

RESPEITAR O PH

Idealmente, a higiene diária deve ser realizada duas vezes ao dia (de manhã e à noite), de preferência com um produto que respeite o equilíbrio do pH da zona íntima, em vez de um produto indicado para todo o corpo. “Para algumas pessoas, o gel de banho ou um sabonete podem ser suficientes, mas a verdade é que uma grande percentagem de mulheres que começa a fazer a sua higiene com um produto adequado à zona íntima acaba por não voltar às soluções anteriores”, afirma a especialista.

Para esclarecer estas e outras questões, especialistas de uma conhecida marca de produtos de higiene íntima feminina elaboraram uma lista de mitos e factos, que vale a pena tem em conta.

MITOS

1 – OS DUCHES VAGINAIS FAVORECEM O CUIDADO DA ZONA ÍNTIMA – MITO. Os duches vaginais podem ser nocivos, já que a parte interna da vagina procede a uma limpeza diária de forma natural.

2 – PENSOS E TAMPÕES SÃO PREJUDICIAIS À ZONA ÍNTIMA – MITO. Se usados durante a menstruação e se trocados com regularidade (3 a 4 vezes por dia), não prejudicam a flora vaginal.

3 – AS RELAÇÕES SEXUAIS PREJUDICAM A SAÚDE DA ZONA ÍNTIMA – MITO. Se realizada uma higiene adequada após as relações sexuais, as secreções serão eliminadas e evita-se o desenvolvimento de infeções vaginais e urinárias. Ainda assim, uma vida sexual muito ativa pode aumentar o risco de infeção.

4 – AS ROUPAS JUSTAS NÃO AFETAM A ZONA ÍNTIMA FEMININA – MITO. Calças e outras peças apertadas inibem a ventilação necessária à saúde vaginal.

 

Leia o artigo completo na edição de janeiro 2017 (nº 268)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA