Diferenças entre os sexos

No plano sexual, não se pode dizer que os homens sejam melhores ou piores do que as mulheres. Apenas são diferentes. Mas para respeitar as diferenças, há que conhecê-las.

 

Se há um aspeto em que as comparações entre homens e mulheres são especialmente absurdas e ridículas, é no plano sexual. Nem as mulheres são superiores aos homens na cama nem o contrário: são sexualidades totalmente diferentes. O ideal é que cada um possa satisfazer os seus desejos mais íntimos, sempre com respeito pelo seu parceiro.

Aqui ficam alguns dados que podem ajudar a conhecer as diferenças e a retirar conclusões.

Múltiplos Orgasmos

São poucos os homens multiorgásmicos, isto é, que conseguem ter um segundo orgasmo imediatamente após a primeira ejaculação. Aqueles que o conseguem costumam perder esta capacidade a partir dos 40 anos. Pelo contrário, são muitas as mulheres multiorgásmicas, as quais costumam, além disso, manter esta capacidade durante toda a sua vida sexual.

Potencial sexual

O homem atinge a sua máxima potência sexual – entendendo como tal o máximo de intensidade nos seus orgasmos, a capacidade de recuperação após a ejaculação, as ereções mais potentes e duradouras, etc. – aos 18 anos aproximadamente, diminuindo de capacidade, embora de modo muito lento, ao longo de toda a sua vida. Em idades muito avançadas, o homem necessita de uma intensa estimulação para obter uma ereção suficiente para praticar o coito.

Quanto à mulher, atinge o seu máximo potencial sexual por volta dos 36 anos, entendendo como tal o máximo de intensidade dos seus orgasmos, a sensibilidade das suas zonas erógenas, maior capacidade de lubrificação, etc.; a partir dessa idade, a sua capacidade decresce, sobretudo ao atingir a menopausa, por volta dos 50 anos.

Alterações físicas

Comparativamente com a mulher, o homem costuma ver mais afetada a sua capacidade sexual por doenças físicas. A diabetes, por exemplo, pode afetar rapidamente a ereção masculina, enquanto que só afeta a sexualidade feminina quando está num estado muito avançado.

Excitação e Abstinência

O homem depende mais dos aspetos físicos da relação, tanto no momento em que se sente atraído, como no momento de levar a cabo a atividade sexual. Para as mulheres, é mais importante a qualidade da relação. Assim, por exemplo, os homens necessitam de menos tempo para se excitarem, sendo, também, menos exigentes quanto às condições ambientais e materiais em que ocorre o ato sexual.

O desejo sexual costuma adquirir no homem um carácter de urgência e inevitabilidade, o qual está, em geral, mais ausente na mulher. Dito de outra forma: a mulher “saboreia mais” o desejo.

Em geral, os homens suportam pior o jejum sexual, ou seja, ficam mais alterados pelo passar do tempo, a partir da última relação.

Leia o artigo completo na edição de abril 2016 (nº 260)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here