Hidromassagem: água regeneradora

0

Os poderes benéficos da água, apreciados desde a antiguidade, são hoje utilizados pelos médicos, tanto para queixas específicas como para o bem-estar geral.

 

Muitos dos antigos templos gregos, construídos em honra do Deus da Medicina, Erculápio, situavam-se junto de nascentes termais afamadas pelas suas propriedades curativas. Locais como estes, construídos também em Roma e Constantinopla, estiveram ativos durante séculos. Na Europa, a utilização de nascentes medicinais levou à edificação de estâncias termais, que acabaram por se tornar locais de tratamento, repouso e de grande atividade social. Algumas delas mantêm-se até aos nossos dias e desfrutam de prestígio mundial, como, por exemplo, Vichy (França), Spa (Bélgica) e Baden Baden (Alemanha). Em Portugal, as termas têm também uma grande tradição e muitos defensores do campo da hidroterapia.

HIDROMASSAGEM PRIVADA

A cinética e a massagem com a água tornaram-se parte integrante dos cuidados a ter com a saúde e bem-estar. A água, ao ser aplicada localmente em regiões determinadas ou de uma forma generalizada em toda a superfície corporal, para além dos efeitos superficiais, gera também alterações na irrigação dos órgãos internos, mediados por reflexos nervosos. Os efeitos mecânicos resultam da pressão exercida pela água sobre a superfície do corpo e podem obter-se por meio de jactos de água, através da chamada hidromassagem.

Até há relativamente pouco tempo, os benefícios da hidromassagem só podiam ser apreciados em institutos de saúde e beleza. Para facilitar o acesso a esta terapia, os grandes fabricantes europeus tiveram a preocupação de a “individualizar”, criando e desenvolvendo equipamentos de fácil colocação na casa de cada um.

Leia o artigo completo na edição de maio 2016 (nº 261)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA