Halitose: patologia multifatorial

0

A halitose – ou mau hálito – é uma patologia multifatorial com elevada prevalência na população.

SaudeOral 1autorArtigo da responsabilidade do Dr. Rodrigo Avelãs Cavaco

Diretor Clínico, Clínica DentalConcept – Carnaxide

Na sociedade atual atribui-se uma importância crescente à imagem pessoal e às relações interpessoais. Por esta razão, a halitose pode conduzir à diminuição da autoestima e ser, inclusivamente, um fator perturbador das atividades sociais.

CAUSAS ORAIS E NÃO ORAIS

Entre 50 a 60% da população sofre de mau hálito e mais de 75% dos casos têm uma origem oral. O mau hálito de origem oral pode ser causado por vários fatores, tais como a acumulação de placa bacteriana sobre a língua, doença periodontal, cárie dentária, doenças e ulcerações mucosas (por exemplo, aftas), respiração oral ou má higiene da boca.

As causas não orais da halitose incluem maioritariamente patologias do aparelho respiratório superior e inferior, patologias do aparelho gastrointestinal, doenças metabólicas (por exemplo, diabetes mellitus) e hábitos alimentares (jejum prolongado ou ingestão de alimentos ricos em odor).

TRATAMENTO

O tratamento da halitose de origem não oral deve ser efetuado simultaneamente com o tratamento da sua causa ou doença sistémica. Nos casos em que o mau hálito tem origem na cavidade oral, o tratamento passa pela correta escovagem dentária associada à higiene da língua, utilização do fio dentário e colutórios orais, depois de tratadas todas as causas possíveis de halitose.

Os colutórios atuais, contendo agentes antibacterianos como clorohexidina e cetilpiridínio ou agentes como acetato de zinco, parecem oferecer os melhores resultados na redução do mau hálito.

Artigo publicado na Edição de Novembro 2015 (nº 255)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA