Arritmias: prevenir desde cedo

0

Em Portugal, ocorrem por ano cerca de 15.000 mortes por arritmia. A Associação Bate, Bate Coração tem por objetivo sensibilizar a população para as arritmias cardíacas, educar sobre os seus riscos e esclarecer sobre os meios de diagnóstico e tratamentos existentes.

Foto Dr. MoraisArtigo da responsabilidade do Dr. Carlos Morais, Cardiologista e Presidente da Associação Bate, Bate Coração

Uma arritmia é uma perturbação do ritmo dos batimentos cardíacos. Em condições normais, o coração de um adulto saudável em repouso bate cerca de 60 a 100 vezes por minuto, com um ritmo regular, como o tic-tac de um relógio. Se o ritmo cardíaco for demasiado lento (inferior a 50/60 batimentos por minuto), é designado como bradicardia; se, por outro lado, o coração bater de forma muito rápida (mais de 100 batimentos por minuto), estamos perante uma taquicardia.

Quando existe um obstáculo à normal progressão dos estímulos cardíacos dentro do coração estamos em presença de um bloqueio que, em certas situações, pode levar à falta de um ou mais batimentos cardíacos. Em qualquer uma destas situações ou quando o coração bate de forma muito irregular, o bombeamento de sangue para as várias partes do corpo pode ser comprometido, colocando em perigo órgãos vitais como o cérebro e os pulmões, entre outros.

As arritmias mais sérias surgem com maior frequência nos adultos, estando associadas a outras doenças do coração. Palpitações, batimento cardíaco muito rápido ou muito lento (irregular), tonturas, cansaço, falta de ar, dor no peito são alguns dos sintomas que podem estar associados a arritmias. Outras manifestações mais graves são a síncope (perda súbita dos sentidos) ou até a morte súbita. Aliás, a causa mais frequente de morte súbita é a arritmia cardíaca.

VIGILÂNCIA COMO PREVENÇÃO

Tal como devemos conhecer os nossos níveis do colesterol, do açúcar no sangue e medir regularmente a tensão arterial, devemos saber calcular o nosso ritmo cardíaco. A maioria das pessoas pode contar as suas pulsações de uma forma muito simples. Através da palpação de uma artéria que está no pulso, podemos contar as pulsações e, ao mesmo tempo que olhamos para o relógio, contamos o número de batimentos. O conhecimento e prática desta técnica, que pode ser facilmente ensinada, permite em muitas situações a deteção de problemas de ritmo cardíaco.

COMEÇAR A PREVENIR DESDE CRIANÇA

Consideramos que, introduzir precocemente conceitos relacionados com o ritmo cardíaco e coração saudável pode facilitar, mais tarde na idade adulta, o entendimento da necessidade de prevenção e do diagnóstico precoce da doença cardíaca e das arritmias.

Por este motivo, criámos o projeto “Coração Tic-Tac”, promovido pela Associação Bate, Bate Coração, que é uma iniciativa pioneira em Portugal, a qual tem como objetivo sensibilizar as crianças, com idades compreendidas entre os 3 e os 9 anos (pré-escolar e 1º ciclo), para a compreensão do funcionamento do coração e para as arritmias cardíacas.

É um projeto em que participamos ativamente nas escolas com as crianças e com os educadores e, ao fim de alguns dias de educação e formação com conteúdos adaptados, procuramos que as crianças nos deem um retorno dos ensinamentos que adquiriram, realizando trabalhos gráficos.

A Associação Bate Bate Coração tem por objetivo sensibilizar a população para as arritmias cardíacas, educar sobre os seus riscos e esclarecer sobre os meios de diagnóstico e tratamentos existentes.

Consulte www.batebatecoracao.pt para conhecer mais sobre este problema de saúde e aceder a conselhos úteis para que o seu coração bata de forma saudável.

Artigo publicado na Edição de março 2016 (nº 259)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA