Alimentos funcionais: para que servem?

0

Alimentos funcionais são produtos modificados, promotores de maiores benefícios para a saúde, em comparação com os alimentos tradicionais. Saiba quais são e como funcionam.

 

 

A microflora intestinal consiste num ecossistema, onde muitas espécies distintas de microrganismos participam em processos vitais inter-relacionados ou interdependentes. Estas bactérias estão adaptadas ao seu habitat, porque estão associadas com a vida do homem, desde os primórdios do Tempo e vão evoluindo com ele.

Sabe-se que o trato gastrointestinal dos recém-nascidos está livre de microrganismos e que a flora bacteriana só é adquirida imediatamente após o nascimento. Depois do nascimento, as superfícies e mucosas são rapidamente colonizadas por microrganismos, segundo uma sequência. A duração deste processo varia de espécie para espécie. No ser humano, por exemplo, são necessários de 6 a 12 meses para que se instale uma microflora semelhante à de um adulto. Assim, esta flora é capaz de interatuar com os substratos – alimentos – e produzir efeitos muito benéficos no hospedeiro.

Novos conceitos

Na última década do século XX, surgiram novos conceitos em Nutrição, devido aos novos estilos de vida e à preocupação de aumentar a qualidade de vida dos indivíduos. A inter-relação de algumas disciplinas – como a Bromatologia, a Biologia Molecular, a Biotecnologia, entre outras – com a Nutrição permitiu que as indústrias alimentares desenvolvessem novos produtos com funções adicionais aos dos produtos tradicionais.

O conceito de “alimento são” – definido como aquele alimento livre de risco para a saúde e que mantêm as características nutricionais, o aroma, a pureza e a frescura – passa, então, para outro conceito, mais atual, de “alimento funcional”, descrito como aquele produto ou alimento modificado, que promove melhores benefícios para a saúde, em comparação com os alimentos tradicionais. O efeito positivo dos alimentos funcionais pode ser, tanto para manter o estado de saúde do indivíduo, como para reduzir o risco de padecer com uma patologia.

O surgimento dos alimentos funcionais constitui uma oportunidade real de contribuir e melhorar a qualidade da alimentação e da seleção de alimentos que podem afetar positivamente a saúde e o bem-estar dos indivíduos. É importante referir que um alimento pode ser funcional para uma população em geral ou para grupos em particular, definidos pelas suas características genéticas, idade, sexo e outros fatores.

Qualquer definição de alimento funcional deve convergir para: aquele alimento que tem um impacto positivo na saúde do indivíduo, quer na prevenção, quer na cura de uma patologia, ou seja, assume uma função específica, para além da função básica de nutrir.

Assim, dentro da gama de alimentos funcionais, estão incluídos os prebióticos, os probióticos, os simbióticos e outros.

Leia o artigo completo na edição de dezembro 2016 (nº 267)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA