Nova app para doentes crónicos e os seus cuidadores informais

0

A app Careceiver é uma solução inovadora que tem como objetivo facilitar a vida dos cuidadores de doentes crónicos, aliando a tecnologia à saúde e ao bem-estar.

 

Artigo da responsabilidade da Enfª. Joana Afonso, CEO da Careceiver, enfermeira e investigadora; cuidadora informal

 

A nossa jornada teve início em meados de junho, quando jovens finalistas do ensino superior dos cursos de Ciências Biomédicas, Enfermagem e Naturopatia, procuraram ajudar aqueles que se encontram atualmente mais vulneráveis e necessitados de auxílio: os doentes crónicos e os seus cuidadores informais.

A CAUSA

Esta classe de cuidadores tão abrangente surge como principal foco da nossa atenção, após termos verificado em contexto clínico as visíveis e alarmantes necessidades que estes têm diariamente com os escassos recursos disponíveis.

Averiguada a problemática inicial, decidimos investigar mais e chegámos a um conjunto de dificuldades insistentemente sentidas pelas famílias cuidadoras. Desse momento em diante, procurámos soluções e todas estas se mostraram incompletas ou desadequadas à verdadeira realidade das famílias.

Neste processo, percebemos a importância de milhões de pessoas que diariamente sacrificam o seu tempo para tomar conta dos seus familiares doentes. Estas constituem uma classe denominada por cuidadores informais, que correspondem a 25% da população europeia.

O seu trabalho e dedicação contínuos geram consequências adversas para as suas vidas pessoais e profissionais, dado que não podem estar disponíveis em todos os momentos. A nossa a missão é facilitar a vida destes cuidadores, aliando a tecnologia à saúde, para que possam cuidar melhor e eficazmente.

 

A JORNADA

Continuámos a nossa busca incessante por informação, que nos conduziu a diversas comunidades de cuidadores informais, os quais não só colaboraram connosco, dando-nos os seus testemunhos, mas também gradualmente validaram a nossa proposta de solução inovadora, dando-nos o incentivo para continuar a desenvolver o projeto através da participação em concursos para jovens empreendedores. No seguimento destes, fomos adquirindo cada vez mais a validação necessária para a continuação e progresso da ideia.

Ao longo do nosso percurso, fomos conquistando vários prémios e distinções: 1º Prémio e-Training Centre for Social Entrepreneurs Portugal; 2º Prémio Mostra Nacional de Jovens Empreendedores; Finalistas do Concurso Acredita Portugal; e Finalistas e-Training Centre for Social Entrepreneurs European Final.

Com estas experiências, fomos crescendo enquanto equipa e celebrando novas amizades cruciais ao nosso desenvolvimento enquanto Start Up, nomeadamente com o nosso colega CEO da SwimTogether, André Santos, que generosamente nos ofereceu o tão imperativo bilhete de acesso ao European Innovation Academy, sem dúvida, um ponto de viragem crucial para Careceiver.

EUROPEAN INNOVATION ACADEMY

A European Innovation Academy é reconhecida na educação de empreendedorismo tecnológico pelos seus programas educacionais sem fins lucrativos, que são desenvolvidos através de parcerias com profissionais das principais instituições do mundo, como a Universidade de Stanford, U.C. Berkeley, Google, entre outros.

O seu corpo estudantil, repleto de futuros empreendedores e líderes empresariais, mergulha num ecossistema multicultural de mais de 15.000 ex-alunos e professores vindos de mais de 85 países, com a missão de educar futuros empreendedores e crescer empresas com potencial desenvolvimento digital.

A APP

Na European Innovation Academy, foi-nos concedida a oportunidade única de expandimos os nossos horizontes, integrar novos elementos na equipa altamente qualificados, receber mentoria de profissionais internacionalmente reconhecidos e, por fim, aumentar os nossos conhecimentos sobre as diversas nas áreas de negócios, desenvolvimento de software, design e marketing, sob a orientação dos nossos mentores Rodrigo Alvarenga, Christina Vila Boa e Kristina McMenamim.

No concurso, desenvolvemos a App Careceiver, agora em fase de teste. Esta inclui diversas caraterísticas, como notificação sobre a toma de medicação, rede de cuidadores informais e profissionais de saúde, agenda, notícias dirigidas ao cuidador informal e um sistema de chamadas, tudo isto em conjunto com uma bracelete simples e discreta que possibilitará detetar quedas, recolher dados biométricos e determinar a localização em situação de emergência.

Leia o artigo completo na edição de outubro 2019 (nº 298)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA