Método Pedro Choy: promoção da saúde e da qualidade de vida

0

Falar da Medicina Tradicional Chinesa em Portugal sem falar de Pedro Choy é uma tarefa impossível. Se há 32 anos, quando o Dr. Pedro Choy chegou a Coimbra, a maioria dos Portugueses desconhecia o que era a Medicina Tradicional Chinesa e a Acupuntura, mais de 3 décadas depois, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 2 milhões de portugueses procuram esta forma de tratamento. A Medicina Tradicional Chinesa está enraizada na nossa sociedade e os números falam por si!

A Acupuntura é a técnica mais visível da Medicina Tradicional Chinesa, uma vez que são utilizadas agulhas. A par da Acupuntura, da Fitoterapia e do Tui Na, esta trilogia é a base do tratamento do Método Pedro Choy. Um método desenvolvido pelo próprio e aplicado nas suas 22 clínicas pela equipa que formou.

AGULHAS? PARECE-LHE ESTRANHO?

O Dr. Pedro Choy explica que “a inserção de agulhas promove a regulação da circulação energética, restabelecendo o equilíbrio e o estado de saúde do organismo. Este re-equilíbrio da circulação energética pode ser feito com agulhas ou recorrendo ao laser.”

Para a Medicina Tradicional Chinesa, as doenças são desequilíbrios energéticos que podem ter origem em fatores como o frio, o calor, a alimentação, a hereditariedade, as emoções ou os sentimentos. Estabilizar e promover esse equilíbrio é a base da Medicina Tradicional Chinesa que atua fundamentalmente na PREVENÇÃO e cuja abrangência terapêutica é vasta, nomeadamente:

  • Enxaqueca;
  • Stress e Ansiedade;
  • Depressão;
  • Reumatismos;
  • Alergias;
  • Asma;
  • Hipertensão;
  • Fibromialgias;
  • Hérnias discais;
  • Vertigens;
  • Psoríase; entre muitas outras

VIVER COM DOR

Viver com dor é, infelizmente, a realidade de muitos portugueses. Segundo um estudo do ano passado – “A Epidemiologia da dor crónica em Portugal” – 37% dos portugueses sofre de dor crónica. Entenda-se por DOR CRÓNICA aquela que perdura no tempo, ou seja, persiste e acaba por ser considerada ela mesma uma doença. Uma doença especialmente desafiante, uma vez que envolve a componente física e a componente psicológica. Quem sofre de dor crónica vê-se diminuído, impedido de ter uma vida social e profissional normal e, regra geral, quem dela padece tem tendência para a ansiedade e depressão.

DOR AGUDA faz parte do sistema de proteção do organismo, é um sinal de alerta do nosso corpo. Neste grupo cabe, por exemplo, a dor intensa que temos quando batemos numa porta, as dores de dentes, as dores que se sentem depois de muito esforço físico.

As dores, agudas ou crónicas, têm um forte impacto na vida das pessoas. Mas não tem de ser assim e a Medicina Tradicional Chinesa tem uma resposta extremamente eficaz.

Em Portugal, a dor osteoarticular e as lombalgias – as vulgares dores de costas – estão no topo da tabela das dores que mais afetam os portugueses. Neste caso, Portugal, pelo facto de estar “à beira mar plantado” tem, inevitavelmente, um forte impacto nas dores das pessoas devido à entrada de vento, frio e humidade. A par da geografia, a hereditariedade também é uma das causas: ‘’Os portugueses herdaram uma grande carga de doenças do tipo reumatismo, cuja expressão principal é osteoarticular”, explica Pedro Choy.

PALAVRAS DE ORDEM: PROMOÇÃO E PREVENÇÃO

“A promoção e prevenção da saúde e da qualidade de vida são fatores indissociáveis. Sem uma não podemos ter a outra. A promoção da saúde baseia-se, tal como a Medicina Tradicional Chinesa, numa visão holística do indivíduo, ou seja, encarar as pessoas como um todo’’, explica Pedro Choy.

Apostar na prevenção tem inúmeras vantagens para além das óbvias. A diminuição dos custos com a saúde e a consequente ausência no trabalho são fatores que acabam por condicionar muito a vida da maioria das pessoas.

A chave está, segundo Pedro Choy, em manter a livre circulação do Qi, a energia vital, que, em havendo plena saúde, esta energia flui e circula por todos os meridianos e órgãos havendo então vitalidade e equilíbrio físico e emocional.  Quando esta circulação é comprometida – por fatores como a idade, falta de descanso, erros alimentares ou até por haver uma tendência do organismo – o equilíbrio e bem-estar ficam, claro está, em desarmonia.

Desconforto físico, cansaço, imunidade enfraquecida, problemas emocionais entre outros começam a fazer parte do quotidiano sem que exista uma verdadeira consciência de que são sinais de alteração do nosso estado de saúde. ‘’O nosso corpo fala connosco, nós é que teimamos em não o ouvir’’, conclui Pedro Choy.

 

DESTAQUE

Método Pedro Choy

Considerado o rosto da Medicina Tradicional Chinesa em Portugal e um dos seus mais empenhados e reconhecidos divulgadores na Europa, o Dr. Pedro Choy desenvolveu e aperfeiçoou, ao longo das mais de três décadas de exercício clínico, um método próprio para as mais diversas patologias, método esse que partilha em exclusivo com a equipa de acupuntores que trabalham nas suas clínicas.

Na base do seu método, estão três das mais importantes disciplinas da Medicina Tradicional Chinesa. A Acupuntura, a Fitoterapia (plantas medicinais chinesas sob a forma de gotas ou cápsulas) e a massagem Tui Na.

 

DESTAQUE

Acupuntura a Laser

Parece um antagonismo, mas a verdade é que é possível fazer acupuntura sem recorrer às agulhas. Ainda que as agulhas sejam completamente indolores, há muitas pessoas com medo de agulhas e, nesses casos, o laser é uma excelente opção.

 

DESTAQUE

Um caso de dor

Maria de Lurdes, 82 anos

Quando procurou o Dr. Pedro Choy, Maria de Lurdes já tinha provas dadas da eficácia da Medicina Tradicional Chinesa.  Procurei a Medicina Tradicional Chinesa por duas razões, a primeira porque já me sentia extremamente motivada, depois havia também a experiência de uma filha que recorreu à Medicina Tradicional Chinesa por duas vezes, uma vez por problemas de pele e de outra vez por sinusite, teve resultados excelentes. Entre a minha apetência e os resultados dela, lá fui eu.”

Dormências nas mãosperda de força, falta de sensibilidade e a sensação de que lhe estavam a “partir os ossos das mãos à martelada durante a noite”. Foi assim que, em consulta, esta senhora descreveu o seu quadro de dor.

Após a consulta de diagnóstico, foi traçado um plano de TRATAMENTO que incluía ACUPUNTURA e FITOTERAPIA (plantas medicinais chinesas), duas das três disciplinas base do método que o Dr. Pedro Choy pratica. Uma das Fórmulas Fitoterápicas que tomou tinha por objetivo dar elasticidade aos tecidos moles – tendões e articulações – “no caso desta senhora, havia uma componente articular e uma componente neurológica a tratar, ou seja, alguns dos sintomas eram sintomas de ‘nervo’, como a perda de sensibilidade, outros eram sintomas da inflamação das articulações do punho que produziam dor”, explica Pedro Choy.

O facto de ser uma senhora muito ativa e independente fazia com que as dores a impedissem de fazer uma vida normal sem ter de depender de alguém, o que a deixava muito em baixo e com a sensação de incapacidade.

“A dor, pelo 6º tratamento, deixou completamente de aparecer. E depois, gradualmente, fui recuperando a sensibilidade e a motricidade. Durante o tempo de tratamento – que são sensivelmente 20 minutos – costumo dizer que não durmo, levito!  A música ambiente é muito relaxante. É um tempinho que tenho só para mim”, relata Maria de Lurdes, com um sorriso no rosto!

Artigo publicado na edição de dezembro 2019 (nº 300)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here