Judo: entre no combate… pela sua saúde!

0

Toda a atividade física é benéfica para o corpo humano, existindo sempre uma modalidade que se adequa mais às nossas necessidades e desejos. E o judo, já pensou nele? O judo não é apenas mais um desporto, é um estilo de vida, uma filosofia que traz consigo particularidades que vale a pena conhecer.

 

Artigo da responsabilidade do Prof. João Neves, professor no Ginásio Clube Português

Significando “caminho suave”, o judo tem como objetivo central a completa sintonia física, mental e espiritual de cada atleta, tendo benefícios em todas essas frentes, mas não de igual forma para todos: são as crianças e jovens os que mais saem a ganhar – mas já lá vamos…

CÓDIGO MORAL

Já alguma vez ouviu dizer que o judo promovia a violência e a subnutrição? Certamente que sim. Estes são dois dos mitos que estão erradamente ligados a este desporto, sendo o segundo relacionado com a necessidade dos atletas se manterem na sua categoria de peso.

Mas estes mitos são facilmente desmentidos com apenas um dos valores presentes no seu código moral: o respeito, por si próprio, pelo adversário e pela modalidade. Um atleta consciente do código moral fará de tudo para evitar más práticas e juntará ao respeito outros valores, como a amizade, lealdade, coragem e perseverança, também identificados como pilares da filosofia desta arte marcial.

É possível, então, afirmar que o que distancia o judo das demais modalidades é o facto de ter como um dos seus principais objetivos a promoção da saúde mental, que se eleva sob a dimensão física e que cabe a nós, professores, garantir. Juntamente com esta, é nosso papel fomentar a passagem de valores como o espírito competitivo e de equipa aos praticantes mais jovens, mas sem nunca esquecer a dimensão de descontração e relaxamento, tão importante e que faz com que o atleta se sinta feliz com a prática da modalidade e fortaleça as relações com os seus colegas de tatami.

GRANDES BENEFÍCIOS A NÍVEL PSÍQUICO

A gestão de comportamentos e emoções, a superação da timidez, a melhoria da autoestima e a promoção do autocontrolo e da capacidade de resiliência são aspetos a que um praticante de judo não consegue fugir e que trazem grandes benefícios, sobretudo a pessoas com défice de atenção ou hiperatividade, sendo a modalidade muito recomendada para tratar estes problemas.

Quase como um jogo de tabuleiro praticado no tatami, o judo não dispensa também a estratégia e o raciocínio, que, juntamente com a rápida tomada de decisão, torna o atleta mais perspicaz e focado. Em idades mais precoces, até aos 8 anos, a criança ainda não está fisicamente preparada para entrar no combate, sendo o seu carácter e personalidade o mais trabalhado nos treinos. Nesta altura, o judo é ensinado como um jogo, sem o aprendizado da técnica, para que mais tarde o jovem se sinta psicologicamente preparado para a receber.

Os temas sociais e mais atuais, como as questões ecológicas, ambientais e cívicas, estão igualmente presentes nos treinos, com passagem de conhecimento dos mestres para os alunos, desde a sua tenra idade, e é certamente por todas estas questões que o judo foi considerado pelo Comité Olímpico Internacional como a modalidade mais completa para crianças e jovens.

VANTAGENS A NÍVEL FÍSICO

A nível físico, a prática de judo tem também inúmeras vantagens.  É ideal para a perda e manutenção de peso, devido às altas necessidades energéticas de treino, que promovem, simultaneamente, o aumento da massa muscular e o desaparecimento de massa gorda. Também o sistema cardiovascular é melhorado. As técnicas de judo possibilitam uma boa circulação sanguínea, deixando o coração mais saudável, prevenindo doenças cardíacas, como a hipertensão.

Num treino de judo completo e intenso, são trabalhados todos – ou quase todos – os músculos e articulações do corpo humano, o que vem melhorar o equilíbrio, a elasticidade e a flexibilidade corporal do desportista.

O atleta foca-se ainda, constantemente, no seu ritmo respiratório (inspiração e expiração), otimizando o funcionamento pulmonar. Um último ponto são as persistentes contrações musculares e impactos, que melhoram a densidade óssea e previnem a osteoporose, ideal para todas as gerações: dos 8 aos 80… ou mais! E para todos os sexos, claro.

Leia o artigo completo na edição de setembro 2019 (nº 297)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA