Feng Shui: dicas para uma casa mais saudável e feliz

0
S

 

O bem-estar na nossa casa nunca foi tão importante como atualmente. Por isso, aplique as sugestões do Feng Shui para uma casa mais saudável e feliz.

 

Artigo da responsabilidade da Profª. Vanda Boavida , professora e consultora internacional de Feng Shui

 

O Feng Shui é uma arte milenar chinesa com cerca de 3500 anos, que significa literalmente “vento e água”, cujo objetivo é harmonizar os espaços. Tornou-se uma ferramenta para potenciar o equilíbrio dos seus praticantes, proporcionando melhorias das suas vidas, quer a nível pessoal, quer a nível profissional.

Porquê utilizar o Feng Shui?

Porque é um método fácil e rápido para renovar a nossa vida, pois os locais onde vivemos podem ser alterados por nós, tal como a nossa alimentação.

A utilização do Feng Shui poderá ser uma ferramenta para esse processo de mudança, uma vez que proporciona inúmeros benefícios a um espaço, tais como:

  • aumenta o bem-estar dos moradores de uma casa ou dos colaboradores de uma empresa;
  • harmoniza as energias da natureza dentro de um espaço;
  • torna os ambientes agradáveis e saudáveis, de acordo com a função que cada ambiente possui;
  • permite que as pessoas estabeleçam novas relações com os espaços em que vivem.

 

As sugestões

Seguem algumas dicas de Feng Shui para uma casa mais saudável e feliz: 

  1. Utilize óleos essenciais para perfumar o ar da casa. O uso da lavanda é uma excelente opção, pois para além de perfumar o ar, acalma e relaxa. Pode-se colocar óleo de lavanda nos cortinados e tapetes (2 gotas). Nem todos os óleos essenciais são 100% naturais, por isso, deve-se ter alguma precaução na compra dos mesmos;
  1. Oiça música calma e relaxante para equilibrar a mente;
  1. Tenha plantas purificadoras do ar em casa. Por exemplo, lírio-da-paz. O melhor local para colocar esta planta é perto dos aparelhos eletromagnéticos (televisão, telemóvel, computador, aparelho Wi-Fi);
  1. Faça uso de lâmpadas ecológicas;
  1. Prefira velas de cera de abelha em detrimento das convencionais, que utilizam petróleo e que poluem o ar que respiramos;
  1. Utilize madeiras naturais, como a cortiça, em substituição de mobília com verniz e outros acabamentos, madeira prensada e MDF. A maioria dos móveis não são de madeira maciça e são fabricados utilizando materiais tóxicos, que comprometem a qualidade do ar;
  1. Opte por tintas ecológicas;
  1. Abra as janelas, 30 minutos por dia, para renovar o ar da casa;
  1. Arrumar as gavetas, armários e roupeiros promove a higiene dos espaços;
  1. Verifique os prazos de validade dos medicamentos e dos alimentos com regularidade;
  1. Tenha sempre ervas aromáticas na bancada da cozinha;
  1. As plantas artificiais e as plantas secas não são recomendadas, pois as primeiras são produzidas através de produtos tóxicos e as secas acumulam muito pó. Podemos ter plantas em todas as divisões da casa, devendo ter em consideração as características de cada espécie. A ideia de que dormir com plantas no quarto representa perigo não passa de um mito. A quantidade de CO2 libertada pelas plantas durante a noite é muito pequena e insuficiente para causar qualquer problema. Se este perigo fosse real, seria também desaconselhado dormir com outra pessoa ou mesmo um animal de estimação, já que ambos consomem bem mais oxigénio e libertam muito mais CO2 do que as plantas;
  1. Limpe o frigorífico com água e limão ou vinagre de cidra; e use bicarbonato de sódio para limpar o forno e as loiças da casa de banho;
  1. Use vinho branco para remover manchas de vinho tinto, das roupas, toalhas de mesa e guardanapos de pano;
  1. Substitua os post-it por um quadro de ardósia;
  1. Adira às faturas online;
  1. Cortinados, lençóis e mantas, se possível, deve ser de materiais naturais, como algodão, linho ou lã;
  1. Empregue bicarbonato de sódio, em detrimento da lixívia, para o branqueamento da roupa branca;
  1. Face a uma maior permanência dentro de casa, a limpeza deve ser feita com maior regularidade, inclusive torneiras, maçanetas das portas e armários, capa do telemóvel, etc.;
  1. Os sapatos do exterior devem ficar à porta e não devem ser colocados perto dos sapatos/chinelos utilizados dentro de casa.

Siga estas dicas e tenha uma casa mais saudável e feliz!

 

Artigo publicado na edição de maio 2020 (nº 305)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here