Sexo é saúde

0

A energia sexual desperta no verão! Aproveite o acordar das hormonas para trazer o sexo à ribalta da sua vida. Este dossier é uma verdadeira consulta de Sexologia, onde fazemos um diagnóstico ao papel dos afetos, à diminuição do desejo, ao peso da rotina, aos tabus e aos preconceitos. Porque sexo é saúde, tanto física como mental.

 

O sexo está cada vez mais presente em tudo o que nos rodeia. Quebraram-se barreiras e preconceitos, desfizeram-se mitos e tabus. Liberalizaram-se uniões de facto e casamentos homossexuais. O erotismo invade a televisão, o cinema, a publicidade e a imprensa. Atualmente, é normal falar abertamente dos problemas e das dificuldades, de como potenciar o prazer ou abraçar novas experiências, de como prevenir riscos; em síntese, hoje, é possível abordar a questão sexual nas suas múltiplas vertentes e em toda a sua plenitude. E ainda bem, porque o sexo é saúde, tanto física como mental.

APROVEITE O VERÃO

O verão, juntamente com as férias, são ingredientes que propiciam uma atividade sexual compensadora. Esta é, comprovadamente, a época do ano em que a sexualidade está mais exacerbada, devendo ser aproveitada para cultivar cumplicidades e a intimidade no casal, melhorando a sua qualidade de vida em comum.

As fantasias e a imaginação eróticas podem e devem ser partilhadas entre parceiros sexuais, sendo igualmente importante tirar partido e até rir de dificuldades pontuais, o que contribui para a aproximação do casal.

INSTRUMENTO TERAPÊUTICO

A prática sexual é, de acordo com os especialistas, um instrumento terapêutico poderoso e insubstituível. Para começar, o sexo é um remédio muito bom contra as insónias – a seguir a fazer amor adormece-se melhor –, melhora o humor e a autoestima, ativa a circulação sanguínea e estimula o coração. Além disso, o sexo pode contribuir para o emagrecimento: de acordo com alguns especialistas, amor ardente e prolongado pode queimar até 300 calorias.

O prazer sexual contribui para um melhor equilíbrio hormonal na mulher, contribuindo, assim, para regular os ciclos de menstruação e permitindo que esta seja menos dolorosa. Uma atividade sexual regular ajudará ainda, segundo estudos, a prevenir o cancro do útero.

O CORAÇÃO PALPITA!

Falar de sexo é falar também de carinho e carícias. Sendo isto tão óbvio, poder-se-á não reparar que as carícias estimulam os centros nervosos, descongestionando os músculos e favorecendo a produção de hormonas sexuais femininas – os estrogénios – que facilitam a irrigação e o estímulo da pele.

Outra consequência da prática sexual para o organismo humano é a oxigenação do sangue e a dilatação das artérias, que resultam de um maior ritmo cardíaco. Quando nos apaixonamos, o coração bate mais rápido, palpita! Talvez por isso se tenha associado o coração às paixões. Não admira, pois, que fiquemos mais jovens, mais bonitos, mais bem dispostos, mais saudáveis…

Leia o artigo completo na edição de julho/agosto 2019 (nº 296)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA