15 alimentos essenciais para emagrecer

0

Para quem quer emagrecer, nada pior do que a repetição de menus sensaborões ou a insistência nos mesmos alimentos. Por isso, eis uma lista de 15 alimentos capazes de alegrarem as suas refeições e que, além disso, ajudam a perder peso.

 

Não existem alimentos livres de calorias, mas muitos ajudam a perder peso e volume, graças ao seu poder saciante, diurético e desintoxicante. O segredo está em escolher aqueles que ajudam a perder peso e previnem a retenção de líquidos, mas também que sejam do nosso total agrado. É igualmente fundamental que sejam ricos em fibras, para saciar o apetite mais facilmente, bem como favorecer o trânsito intestinal.

Basicamente, dos 15 alimentos que se seguem, escolha os que mais lhe agradam e invista num emagrecimento sustentado, através de uma alimentação saudável e equilibrada.

ABÓBORA

A abóbora é uma das verduras mais ricas em água, o que lhe confere propriedades diuréticas e laxantes. Além disso, possui umas substâncias designadas por cumarinas, que ajudam a prevenir o cancro. Também auxilia na prevenção das cataratas, melhora a visão noturna e, em geral, as defesas imunitárias.

ACELGAS

Verduras muito ligeiras e ricas em fibra, as acelgas transformam qualquer prato numa refeição saudável e saciante. Sejam cozidas ou ao natural, as acelgas depuram o organismo, ajudando a eliminar toxinas e a resolver a obstipação. São ótimas para ajudar a desinchar durante a menstruação.

ALCACHOFRA

Pelo seu poder diurético, a alcachofra facilita a eliminação dos líquidos retidos, provocando uma maior produção de urina. Além de facilitar a digestão, ajuda a desintoxicar o fígado e contribui para reduzir o colesterol e os níveis de açúcar no sangue.

ALHO

A utilização do alho é muito boa para o colesterol, além de controlar a hipertensão. Isto porque a alicina, uma substância química que se liberta quando o alho é esmagado, reduz os níveis de colesterol e baixa a pressão arterial. Também ajuda a diminuir a incidência de cancro da mama, pele e pulmão, além de prevenir o cancro do cólon e do esófago.

Leia o artigo completo na edição de abril 2018 (nº 282)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA