Trave a dor antes que a dor o trave a si

AS DORES ARTICULARES DO JOELHO PODEM TORNAR A VIDA INSUPORTÁVEL, OBRIGANDO MUITAS VEZES À TOMA DE ANALGÉSICOS E ANTI-INFLAMATÓRIOS OU ATÉ A CIRURGIA. MAS O SULFATO DE GLUCOSAMINA, ASSOCIADO À CONDROITINA E AO SELÉNIO, PODE AJUDAR.

 

Como acontece com uma dobradiça ou qualquer outro objeto sujeito a uso diário, há uma altura na vida em que as articulações começam a deteriorar-se, o que afeta a qualidade de vida, resultado da dor e da redução da mobilidade. Os medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios, bem como a substituição cirúrgica da articulação, são as opções mais frequentes para resolver este problema. Porém, existem cada vez mais pessoas a recorrer a uma associação natural eficaz, de ação comprovada e sem efeitos secundários: sulfato de glucosamina, sulfato de condroitina e selénio.

REPARAR A CARTILAGEM DETERIORADA

O sulfato de glucosamina e o sulfato de condroitina têm a capacidade de aliviar a dor e travar a progressão da degradação da cartilagem articular. O primeiro é obtido a partir do marisco e o seu constituinte ativo é um elemento inerente à síntese da cartilagem do organismo. Tomado como suplemento, estimula a produção de nova cartilagem saudável pelo organismo, de uma forma totalmente natural, e previne a perda progressiva de cartilagem.

Alguns estudos demonstraram que o sulfato de glucosamina pode:

  • Aliviar a dor articular com a mesma eficácia um medicamento anti-inflamatório;
  • Travar a degradação da cartilagem articular;
  • Melhorar o funcionamento das articulações.

O EFEITO BENÉFICO DA CONDROITINA

Extraída de cartilagem animal, normalmente de tubarão, esta substância também demonstrou ser eficaz. Num estudo publicado na revista científica Arthritis and Rheumatism, o sulfato de condroitina de primeira qualidade foi associado a uma redução significativa da dor e da perda de espaço interarticular, provando o seu interesse no tratamento da osteoartrose.

PORQUÊ SELÉNIO?

Segundo alguns estudos científicos, o selénio, um oligoelemento essencial, tem, ao que tudo indica, importância na fase inicial da osteoartrose. Um estudo americano, com 940 participantes, concluiu que as pessoas com os níveis mais elevados de selénio apresentavam uma redução de 40% do risco de desenvolver osteoartrose do joelho, quando comparado com as pessoas que tinham os níveis mais baixos. Dado o baixo teor de selénio nos solos europeus, os cereais cultivados em Portugal são também pobres em selénio.

Leia o artigo completo na edição de fevereiro 2021 (nº 313)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here