Não dê férias à sua saúde, leve-a consigo!

0

Os destinos de sol – e, em particular, os tropicais – são dos mais apelativos para passar uns dias de férias em família. Porém, muitos destes locais podem apresentar riscos para a saúde dos viajantes. Epidemias recentes como o vírus zika e a dengue têm assolado alguns desses países. Antes de viajar, especialmente para países tropicais, deve adotar medidas preventivas, protegendo-se a si e à sua família. Fique a conhecer algumas recomendações para prevenir problemas de saúde durante e após as suas férias.

 

O período de verão é, por excelência, o tempo de férias para a esmagadora maioria dos portugueses. As saudades do bom tempo e dos dias de calor levam a que os destinos tropicais figurem entre os mais escolhidos. Apesar de muito apelativos, estes locais podem apresentar riscos para a saúde dos viajantes. E certas zonas do Planeta estão mais sujeitas a determinadas doenças do que outras. Algumas delas são especialmente assoladas por febres e outras doenças, capazes de transformarem uma viagem de sonho em dias de pesadelo. Por isso, todos os cuidados preventivos são poucos.

Antes de viajar, especialmente para países tropicais, fique a conhecer alguns dos riscos que poderá enfrentar.

 

MALÁRIA

A malária (paludismo) é uma doença transmitida pela picada da fêmea do mosquito do género Anopheles, infetado pelo agente patogénico do género Plasmodium e, de acordo com o “World Malaria Report 2014”, estima-se que “3,3 mil milhões de pessoas, em 97 países, corram o risco de ser infetadas e desenvolvam a doença”. Em 2013, ocorreram 198 milhões de casos de malária em todo o mundo, dos quais resultaram 584.000 mortes. Os países endémicos localizam-se sobretudo em África, Ásia e América do Sul. Continua a ser a principal causa de morte de viajantes de países europeus para os trópicos.

  • Como prevenir?

Antes da viagem, deve realizar uma consulta de Medicina do Viajante, de forma a saber qual a profilaxia adequada ao seu caso. No decorrer da viagem, deve também ter cuidados, de forma a prevenir a picada de insetos (uso de repelente de insetos, roupa apropriada e utilização de ar condicionado e/ou rede mosquiteira para dormir). O mosquito que transmite a malária tem atividade do entardecer ao amanhecer, devendo as medidas de prevenção da picada ser reforçadas neste período.

  • Sintomas

Se apresentar febre a partir do sétimo dia de início da estadia nos trópicos, acompanhada ou não de outros sintomas, durante o resto da estadia e após o regresso, principalmente nos primeiros três meses, ou mesmo depois, deve procurar ajuda médica. Recorra a um serviço de urgência e refira sempre que esteve num país tropical.

Leia o artigo completo na edição de julho/agosto 2016 (nº 263)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA