Numa geração em que a inteligência artificial, os medicamentos e a inovação ganham destaque, é fácil esquecer o poder regenerador das águas minerais naturais. A cura para não adoecer está mais próxima do que imaginamos…

Artigo da responsabilidade da Dra. Vera Antunes. Técnica Superior na Universidade da Beira Interior. Investigadora nas áreas da Comunicação Estratégica e Termalismo – LabCom. Sócia da GIROHC

 

As termas, antes envoltas de luxo, com os seus casinos, eram frequentadas pelas elites como centros de lazer e recuperação, onde socializavam e “matavam a sede” de uma boa conversa. Numa névoa de silêncio e reflexão, as termas transformam-se, de repente, num remoinho de atividades nefastas e pejorativas. A palavra “Termalismo” ainda hoje é rodeada pela reputação da sua ancestralidade. Entre momentos de glória e outros depreciativos, o termalismo persiste no tempo e é na confluência de práticas ancestrais com os avanços científicos contemporâneos que as termas se procuram reinventar.

CHAVE PARA UMA VIDA MAIS SAUDÁVEL

Curiosa e despertada pelas histórias fui experimentar umas termas, não importa quais… Podem ser apenas paredes e meras banheiras ou marquesas, sendo a água a sua unicidade. Permaneço imóvel numa banheira de água parada… Receio que os detalhes do testemunho sobre as propriedades terapêuticas das águas minerais se desvaneçam da minha mente se eu me mover. Como refere Fernando Pessoa, “Há tanta suavidade em nada se dizer e tudo se entender”. Fecho os olhos, as minhas células vibram e esqueço as horas… aqui é “um lugar com tempo para tudo”.

Na sala de repouso observo as pessoas a partir apressadamente, e questiono-me como podem voltar à sua rotina com tanta facilidade? Será que compreenderam a importância do termalismo? Será que perceberam que esta prática ancestral pode ser a chave para uma vida mais saudável e equilibrada? Será que sabem que o termalismo pode ser a cura para não adoecer?

VALORIZAÇÃO DO TERMALISMO

A sensação de comunicar termalismo toma conta de mim. Será que conseguimos comunicar eficazmente os seus benefícios à sociedade? Na reflexão, percebo que o futuro do termalismo e, consequentemente, da saúde e do bem-estar, parece incerto.

No entanto, uma luz de esperança brilha no horizonte, alimentada pela convicção de que a união entre tradição e a ciência pode abrir novos caminhos para um futuro mais saudável e equilibrado.

Determinada em contribuir para a valorização e progresso do termalismo, mantenho viva a esperança de que o termalismo continuará a ser uma fonte de cura e bem-estar para as gerações futuras e, por isso, vos escrevo.

A procura pela melhoria da qualidade de vida e a tendência global do inevitável envelhecimento contribui para o crescimento do turismo de saúde e bem-estar.

Paralelamente, as áreas da saúde, do turismo e do desenvolvimento regional têm sido alvo de estudo, mas maioritariamente de forma independente e desconexa, perdendo-se a oportunidade de valorização das sinergias associadas.

Numa geração em que a inteligência artificial, os medicamentos e a inovação ganham destaque, é fácil esquecer o poder regenerador que reside nas profundezas da terra, nas águas minerais naturais. É hora de lembrar, de comunicar os benefícios do termalismo. A cura para não adoecer está mais próxima do que imaginamos…

Leia o artigo completo na edição de junho 2024 (nº 350)